contato |@| sobremusica.com.br

Bernardo Mortimer
bernardo |@| sobremusica.com.br

Bruno Maia
bruno |@| sobremusica.com.br

7.3.07

MÚSICA CHAPPA QUENTE


Enfim, depois de um ano trabalhando em cima de um projeto, é hora de botá-lo na rua. O MÚSICA CHAPPA QUENTE é o primeiro de uma série de projetos da CHAPPA, que por sua vez é uma ação para promover o desenvolvimento sustentável da indústria da música.

Esse trabalho começou há um ano. Quem acompanha esse modesto site a mais tempo, pode perceber o envolvimento e interesse do SOBREMUSICA pelas questões ligadas à indústria da música como um todo. Entretenimento e negócios – e a mistura desses dois – sempre foram nossos maiores estímulos. Nesse sentido, temos a sorte de acompanhar o momento mais fértil que o setor já viveu. Mudanças tecnológicas, comportamentais, Napster, YouTube, Second Life... A cada 3 meses, uma nova pancada estimulando a cabeça. Começaram a surgir alguns debates sobre esses temas pelo mundo. Logo, chegaram ao Brasil. Se o formato de debate parece, para muitos, esgotado, o assunto e o dinamismo da mudança nos faziam crer que ainda havia muito a se falar, se discutir, pensar.

Vivendo tudo isso, foi surgindo a CHAPPA e o MÚSICA CHAPPA QUENTE. Além do SOBREMUSICA, estão envolvidas nele a Tecnopop, a Rinoceronte Produções e a Lunuz. Cada uma veio com um histórico diferente, mas com o objetivo em comum de trazer a música para o centro das discussões como negócio viável. Sobretudo no Rio de Janeiro. Bossa Nova, rock, eletrônico, samba, pagode, funk, ska, reggae, hip hop, carnaval...

A chegada dos Jogos Pan-Americanos faz os olhos da cidade voltarem para si. A cultura não pode ser vista só como entretenimento. É também, mas vai além. O Hutúz Rap Festival mostra isso. O AfroReggae também. E o que dizer da Lapa lotada? Muitos outros idem. Além do valor social que a música pode representar numa cidade como o Rio de Janeiro, há ainda o valor econômico. As indústrias criativas já representam cerca de 7% de todo o PIB mundial. Cada vez mais aumentam os investimentos nesses setores. O Fashion Rio e sua Fashion Business já se tornaram fundamentais para a cidade. A música não pode fazer o mesmo por si?

É mirando nisso que damos a largada numa série de ações. O MÚSICA CHAPPA QUENTE será uma série de debates, em ambiente acadêmico (quatro universidades), que vai trazer para o Rio de Janeiro alguns dos principais nomes da atual indústria da música brasileira. Os convites foram feitos à empresários, músicos, jornalistas, publicitários, telefônicas, portais, advogados, professores, empresas públicas e privadas...

Todo mundo que participa da indústria musical de alguma forma está representado. Esse termo – "indústria musical" – é muitas vezes confundido com indústria fonográfica. Talvez porque ao longo da segunda metade do século eles tenham, de fato, se confundido. Mas desde 1996, com o advento do MP3, não se pode mais pensar assim. A indústria fonográfica agora é parte, e não sinônimo de indústria da música. O fonograma se junta ao videoquê, ao videogame, ao celular, ao videoclipe na internet, ao arquivo de áudio, e a uma série de novos formatos para o consumo de música. Pago ou não, regularizado, tudo se abre para discussão. Os independentes cresceram. Não vendem tanto quanto, é verdade. Mas talvez já empreguem mais. Nessa história, quem é mais importante? Os dois. Os três. Os quatro...

Tratando todo mundo de igual pra igual, vão se sentar às mesas de debate nomes como ABPD, Creative Commons, O Globo, Multishow iMúsica, revista Bizz, revista Rolling Stone, BNDES , SEBRAE, ABPod, portal Terra, portal G1, Overmundo, Midsummer Madness, Rádio Janela, C.E.S.A.R, ABRAFIN, ABMI, Paulo André Pires, Fabrício Nobre, Moptop, Berna Ceppas, Autoramas; alguns dos principais jornalistas de musica do Brasil, como Lúcio Ribeiro, Alexandre Matias, Antonio Carlos Miguel, Bruno Natal e Marcelo Ferla; empresários como Léo Feijó, Mauro Benzaquem, André Barcinski; professores como Gisela Castro, Jerome Vonk e André Valle; publicitários como André Eppinghaus; advogados como Sydney Sanches; entre outros que esqueço agora e que já peço desculpas por isso. É muita gente.

Pra ajudar em questões como essa e pra informar muito mais, está no ar o http://www.chappa.com.br/ . Lá, é possível saber todas as informações referentes ao evento. Junto com o amigo e redator de primeira, Fábio Andrade, vamos enchê-lo de conteúdo que mistura música e negócios. Independentemente de vínculos, achamos que esse é um tipo de canal que falta no Brasil.

Aproveitando, pedimos desculpas pelos últimos dias meio capengas do SOBREMUSICA. Parodiando nosso amigo Bruno Natal, quando o site fica meio assim é porque está vindo coisa grande. É o caso. Bem como ele no URBe, e mais tantos outros, vamos nós crescendo a partir de um blog, talvez formando uma geração de qualquer coisa que o tempo poderá dizer. Sinal dos tempos que vivemos e tentamos, modestamente, ajudar a criar.

**************************
Aproveitamos e pedimos ajuda de todos os nossos 14 leitores para divulgar o MÚSICA CHAPPA QUENTE e para se inscreverem no site do evento.

2 Opine:

At 10:35, Blogger Alysson said...

Este comentário foi removido pelo autor.

 
At 10:37, Blogger Alysson said...

"... ainda não sei se me tornarei um permanente leitor deste Blog ... portanto gostei do conteúdo das informações ... inclusive estou indo no site do chappa ... e vocês estão favoritados aqui também ... para constar descobri o blog através de uma matéria no O Globo On Line e também sou músico de uma banda com trabalho independente no Rio de Janeiro ..." Forte Abraço !!!

 

Postar um comentário

<< Home


A novidade veio dar à praieira
Chega de Jamiroquai
Acabou la Tequila, Gabriel Thomaz e Carlos Pianta
I LOVE CAFUSÚ (acertando...)
Corinne Bailey Rae & Justin Timberlake
Amy Winehouse & Paul Weller
A pipa do vovô...
FEIRA MÚSICA BRASIL :: (balanço final)
Binário na porta do Cine Íris
I LOVE CAFUSÚ

- Página Inicial

- SOBREMUSICA no Orkut



Envio de material


__________________________________

A reprodução não-comercial do conteúdo do SOBREMUSICA é permitida, desde que seja comunicada previamente.

. Site Meter ** Desde 12 de junho de 2005 **.